april 2017 • Annals of Internal Medicine

Noninvasive Treatments for Acute, Subacute, and Chronic Low Back Pain: A Clinical Practice Guideline From the American College of Physicians

Qaseem A., et al.

DOI: 10.7326/M16-2367

Content curated by:David Rodrigues

Key message

Guideline da American College of Physicians relativa à abordagem da lombalgia aguda, sub-aguda e crónica. Usaram metodologia robusta para elaborar as recomendações (GRADE), comparam as diferentes abordagem farmacológicas e não farmacológicas e elaboram 3 recomendações. Fazem ainda uma síntese do que consideram High Value Care bem como sublinham Considerações Clínicas que os médicos devem ter em conta na abordagem destes doentes.

Analysis

Population

Adultos com lombalgia aguda, subaguda e crónica

Method

Guideline que inclui evidência de revisões sistemáticas de ensaios clínicos aleatorizados e estudos observacionais. Metodologia GRADE

Results

Recomendação 1: Dado que a maioria dos pacientes com dor lombar aguda ou subaguda melhora com o tempo, independentemente do tratamento, os médicos e os pacientes devem selecionar tratamento não farmacológico com calor superficial (evidência de qualidade moderada), massagem, acupuntura ou manipulação espinhal (evidência de baixa qualidade). Se o tratamento farmacológico for desejado, médicos e pacientes devem selecionar antiinflamatórios não esteroides ou relaxantes do músculo esquelético (evidência de qualidade moderada). (Nota: recomendação forte) Recomendação 2: Para pacientes com dor lombar crónica, médicos e pacientes devem selecionar inicialmente tratamento não farmacológico com exercício físico, reabilitação multidisciplinar, acupuntura, redução do stress (evidência de qualidade moderada), tai chi, ioga, exercícios de controle motor, relaxamento progressivo, eletromiografia - biofeedback , terapia a laser de baixa intensidade, terapia cognitivo-comportamental ou manipulação espinhal (evidência de baixa qualidade). (Nota: recomendação forte) Recomendação 3: Em pacientes com dor lombar crónica que tiveram uma resposta inadequada à terapia não farmacológica, os médicos e pacientes devem considerar o tratamento farmacológico com antiinflamatórios não esteróides como terapia de primeira linha, tramadol ou duloxetina como terapia de segunda linha. Os médicos só devem considerar os opióides como uma opção em pacientes que falharam nos tratamentos mencionados acima e somente se os benefícios potenciais superarem os riscos e após uma discussão dos riscos conhecidos e benefícios realistas para os pacientes. (Grau: recomendação fraca, evidência de qualidade moderada) High Value Care Os médicos devem tranquilizar os pacientes que a dor lombar aguda ou subaguda geralmente melhora com o tempo, independentemente do tratamento, e devem evitar a prescrição de tratamentos caros e potencialmente prejudiciais. Os esteróides sistémicos não mostraram benefícios e não devem ser prescritos para pacientes com dor lombar aguda ou subaguda, mesmo com sintomas radiculares. Para o tratamento da dor lombar crónica, os médicos devem selecionar terapias que tenham o menor número de danos e os menores custos. Os médicos devem evitar a prescrição de terapias caras e com riscos potenciais substanciais, como opióides a longo prazo, e terapias farmacológicas que não se mostraram eficazes, como antidepressivos tricíclicos e inibidores seletivos da recaptação da serotonina. Considerações Clínicas Os médicos devem informar os pacientes com dor lombar aguda ou subaguda sobre o resultado geralmente muito favorável. Assim, os pacientes podem evitar testes e tratamentos potencialmente prejudiciais e caros. Os médicos devem aconselhar os pacientes com dor lombar aguda, subaguda ou crónica a permanecerem ativos conforme tolerado. As melhorias na dor e na função devido a intervenções farmacológicas e não farmacológicas foram pequenas e muitas vezes não mostraram diferenças claras em comparação com os controles. Poucas diferenças nas terapias recomendadas foram encontradas quando elas foram estudadas em ensaios comparativos. Portanto, os médicos devem basear as recomendações de tratamento nas preferências do paciente que também minimizam os danos e custos.

Abstract

Description: The American College of Physicians (ACP) developed this guideline to present the evidence and provide clinical recommendations on noninvasive treatment of low back pain. Methods: Using the ACP grading system, the committee based these recommendations on a systematic review of randomized, controlled trials and systematic reviews published through April 2015 on noninvasive pharmacologic and nonpharmacologic treatments for low back pain. Updated searches were performed through November 2016. Clinical outcomes evaluated included reduction or elimination of low back pain, improvement in back-specific and overall function, improvement in health-related quality of life, reduction in work disability and return to work, global improvement, number of back pain episodes or time between episodes, patient satisfaction, and adverse effects. Target Audience and Patient Population: The target audience for this guideline includes all clinicians, and the target patient population includes adults with acute, subacute, or chronic low back pain.