september 2019 • Annals of Rheumatic Diseases

2018 updated European League Against Rheumatism evidence-based recommendations for the diagnosis of gout

Richette P., et al.

DOI: 10.1136/annrheumdis-2019-215315

Content curated by:David Rodrigues

Key message

Guideline da EULAR respeitantes ao diagnóstico de GOTA, através de painel Delphi resultando em 8 recomendações para diagnóstico desta condição clínica

Analysis

Population

Adultos com Gota

Method

Uma revisão sistemática da literatura sobre todos os aspectos do diagnóstico de gota foi realizada. As recomendações foram formuladas usando uma abordagem de consenso Delphi. Oito recomendações principais foram geradas.

Results

1. A pesquisa de cristais no líquido sinovial ou aspirado de tofo é recomendada em todas as pessoas com suspeita de gota, porque a demonstração de cristais de MSU permite um diagnóstico definitivo de gota. 2 A gota deve ser considerada no diagnóstico de qualquer artrite aguda em um adulto. Quando a análise do líquido sinovial não é viável, um diagnóstico clínico de gota é apoiado pelas seguintes características sugestivas: envolvimento monoarticular de um pé (especialmente o primeiro MTF) ou articulação do tornozelo; episódios anteriores de artrite aguda semelhantes; início rápido de dor intensa e inchaço (piora em <24 horas); eritema; sexo masculino e doenças cardiovasculares associadas e hiperuricemia. Essas características são altamente sugestivas, mas não específicas para a gota. 3 É altamente recomendável que a aspiração do líquido sinovial e o exame de cristais sejam realizados em qualquer paciente com artrite inflamatória não diagnosticada. 4 O diagnóstico de gota não deve ser feito apenas na presença de hiperuricemia. 5 Quando o diagnóstico clínico de gota é incerto e a identificação do cristal não é possível, os pacientes devem ser investigados por imagem para procurar deposição de cristal MSU e características de qualquer diagnóstico alternativo. 6 As radiografias simples são indicadas para procurar evidência de imagem de deposição de cristais de MSU, mas têm valor limitado para o diagnóstico de exacerbação de gota. A ultrassonografia pode ser mais útil para estabelecer um diagnóstico em pacientes com suspeita de erupção de gota ou artrite gotosa crónica pela detecção de tofos não evidentes no exame clínico, ou um sinal de contorno duplo nas superfícies da cartilagem, que é altamente específico para depósitos de urato nas articulações. 7 Os fatores de risco para hiperuricemia crónica devem ser pesquisados ​​em todas as pessoas com gota, especificamente: doença renal crónica; excesso de peso, medicamentos (incluindo diuréticos, aspirina em baixas doses, ciclosporina, tacrolimus); consumo de álcool em excesso (principalmente cerveja e destilados), refrigerantes não dietéticos, carnes e frutos do mar. 8 Recomenda-se a avaliação sistemática da presença de comorbilidades associadas em pessoas com gota, incluindo obesidade, insuficiência renal, hipertensão, doença cardíaca isquémica, insuficiência cardíaca, diabetes e dislipidemia.

Abstract

Although gout is the most common inflammatory arthritis, it is still frequently misdiagnosed. New data on imaging and clinical diagnosis have become available since the first EULAR recommendations for the diagnosis of gout in 2006. This prompted a systematic review and update of the 2006 recommendations. A systematic review of the literature concerning all aspects of gout diagnosis was performed. Recommendations were formulated using a Delphi consensus approach. Eight key recommendations were generated. A search for crystals in synovial fluid or tophus aspirates is recommended in every person with suspected gout, because demonstration of monosodium urate (MSU) crystals allows a definite diagnosis of gout. There was consensus that a number of suggestive clinical features support a clinical diagnosis of gout. These are monoarticular involvement of a foot or ankle joint (especially the first metatarsophalangeal joint); previous episodes of similar acute arthritis; rapid onset of severe pain and swelling; erythema; male gender and associated cardiovascular diseases and hyperuricaemia. When crystal identification is not possible, it is recommended that any atypical presentation should be investigated by imaging, in particular with ultrasound to seek features suggestive of MSU crystal deposition (double contour sign and tophi). There was consensus that a diagnosis of gout should not be based on the presence of hyperuricaemia alone. There was also a strong recommendation that all people with gout should be systematically assessed for presence of associated comorbidities and risk factors for cardiovascular disease, as well as for risk factors for chronic hyperuricaemia. Eight updated, evidence-based, expert consensus recommendations for the diagnosis of gout are proposed.