march 2019 • Hypertension

Measurement of Blood Pressure in Humans: A Scientific Statement From the American Heart Association

Muntner, et al.

DOI: 10.1161/HYP.0000000000000087

Content curated by:David Rodrigues

Key message

Artigo de revisão sobre a Tensão Arterial e com instruções sobre a correcta medição da PA na consulta. O resumo: Passo 1: Prepare o paciente adequadamente 1. Faça com que o paciente se descontraia, sentado numa cadeira com os pés apoiados no chão e as costas apoiadas. O paciente deve ficar sentado por 3–5 minutos sem falar ou se mover antes de registar a primeira leitura da PA. 2. O paciente deve evitar cafeína, exercícios e fumar por pelo menos 30 minutos antes da medição. 3. Certifique-se de que o paciente esvaziou a bexiga. 4. Nem o paciente nem o observador devem falar durante o período de descanso ou durante a medição. 5. Remova as roupas que cobrem o local de colocação do manguito. 6. As medições feitas com o paciente sentado na marqueza de exame não cumpre estes critérios. Passo 2: Use a técnica adequada para medições de PA 1. Use um dispositivo de medição de PA com manguito que tenha sido validado e certifique-se de que o dispositivo seja calibrado periodicamente. 2. Apoie o braço do paciente (por exemplo, numa mesa). O paciente não deve segurar o braço porque o exercício isométrico afetará os níveis de PA. 3. Posicione o meio do manguito na parte superior do braço do paciente ao nível da auricula direita (ponto médio do esterno). 4. Use o tamanho correto do manguito de forma que envolva 75% –100% do braço. 5. Use o diafragma ou a campainha do estetoscópio para leituras auscultatórias. Passo 3: Faça as medições adequadas necessárias para o diagnóstico e tratamento de PA elevada / hipertensão 1. Na primeira visita, registre a PA em ambos os braços. * Use o braço que fornece a leitura mais alta para as leituras subsequentes. 2. Separe as medições repetidas por 1–2 min. 3. Para determinações auscultatórias, use uma estimativa palpada da pressão de obliteração do pulso radial para estimar a PAS. Infle o manguito 20-30 mm Hg acima desse nível para uma determinação auscultatória do nível de PA. 4. Para leituras auscultatórias, desinfle a pressão do manguito 2 mm Hg / s e ouça os sons de Korotkoff. Passo 4: Documente corretamente leituras precisas de PA 1. Registre o PAS e PAD. Se usar a técnica auscultatória, registre a PAS e a PAD como o início do primeiro de pelo menos 2 batimentos consecutivos e o último som audível, respectivamente. 2. Registre PAS e PAD até o número par mais próximo. 3. Observe a hora em que a medicação de PA mais recente foi tomada antes das medições. Passo 5: Faça a média das leituras Use uma média de ≥2 leituras obtidas em ≥2 ocasiões para estimar a PA do indivíduo. Passo 6: Forneça leituras de PA ao paciente Forneça aos pacientes suas leituras de PAS / PAD, tanto verbalmente quanto por escrito. Alguém deve ajudar o paciente a interpretar os resultados.

Abstract

The accurate measurement of blood pressure (BP) is essential for the diagnosis and management of hypertension. This article provides an updated American Heart Association scientific statement on BP measurement in humans. In the office setting, many oscillometric devices have been validated that allow accurate BP measurement while reducing human errors associated with the auscultatory approach. Fully automated oscillometric devices capable of taking multiple readings even without an observer being present may provide a more accurate measurement of BP than auscultation. Studies have shown substantial differences in BP when measured outside versus in the office setting. Ambulatory BP monitoring is considered the reference standard for out-of-office BP assessment, with home BP monitoring being an alternative when ambulatory BP monitoring is not available or tolerated. Compared with their counterparts with sustained normotension (ie, nonhypertensive BP levels in and outside the office setting), it is unclear whether adults with white-coat hypertension (ie, hypertensive BP levels in the office but not outside the office) have increased cardiovascular disease risk, whereas those with masked hypertension (ie, hypertensive BP levels outside the office but not in the office) are at substantially increased risk. In addition, high nighttime BP on ambulatory BP monitoring is associated with increased cardiovascular disease risk. Both oscillometric and auscultatory methods are considered acceptable for measuring BP in children and adolescents. Regardless of the method used to measure BP, initial and ongoing training of technicians and healthcare providers and the use of validated and calibrated devices are critical for obtaining accurate BP measurements.