march, 2020

Detection of SARS-CoV-2 in Different Types of Clinical Specimens

Wenling Wang, Yanli Xu, Ruqin Gao, et al.

DOI: 10.1001/jama.2020.3786

Jama Network

Abstract

An epidemic of respiratory disease caused by severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2) began in China and has spread to other countries. Real-time reverse transcriptase–polymerase chain reaction (rRT-PCR) of nasopharyngeal swabs typically has been used to confirm the clinical diagnosis. However, whether the virus can be detected in specimens from other sites, and therefore potentially transmitted in other ways than by respiratory droplets, is unknown.

Population

População: 205 doentes com COVID-19 localizados em 3 hospitais nas províncias de Hubei, Shandong e Beijing, China

Method

Colheita de variados tipos de material biológico, incluindo: esfregaço faríngeo, sangue, expectoração, fezes, urina e amostras nasais. Em doentes com doença grave ou sob ventilação mecânica foram colhidos lavado bronco-alveolar e biópsia por escova em broncofibroscopia. Investigaram a biodistribuição do SARS-CoV-2 nos diferentes tecidos biológicos dos doentes com diagnóstico de COVID-19, baseado em sintomas e exame de imagem e confirmada deteção de SARS-CoV-2. Colheram os esfregaços faríngeos da maioria dos doentes entre o 1º e 3º dia após admissão. Sangue, expectoração, fezes, urina e amostras nasais foram colhidos ao longo da doença. Em doentes com doença grave ou sob ventilação mecânica foram colhidos lavado bronco-alveolar e biópsia por escova através de broncofibroscopia. O RNA foi extraído das amostras e analisado por RT-PCR. RNA em amostras com valores mais baixos de ciclos correspondem a maior número de cópias do vírus, pelo que um valor limite de ciclo inferior a 40 foi interpretado como positivo para SARS-CoV-2.

Results

Foram colhidas 1070 amostras dos 205 doentes, idade média de 44 anos e 68% eram homens. A maioria apresentou sintomas de febre, tosse seca e fadiga. 19% tinham doença grave.O lavado bronco-alveolar foi o tecido com maior taxa de positividade (14 em 15 amostras, 93%), seguida da expectoração (72 em 104, 72%), esfregaço nasal (5 em 8, 63%), biópsia por broncofibroscopia (6 em 13, 46%), esfregaço faríngeo (126 em 398, 32%), fezes (44 em 153; 29%) e sangue (3 em 307, 1%). Nenhuma das 72 amostras de urina teve resultado positivo.

Summary

Das amostras biológicas testadas, a maior taxa de positividade do vírus foi detectada no lavado bronco-alveolar, expectoração e esfregaço nasal, corroborando que a via respiratória é a principal via de transmissão. É importante alertar para a presença de vírus nas fezes, pelo que pode representar uma outra via de transmissão. A deteção no sangue ainda que em pequena quantidade alerta para a hipótese de haver doença sistémica.

Content curated by

DR

David Rodrigues

david.rodrigues@evidentiamedica.com